A nova realidade em sala de aula

Sim, há uma nova realidade e todos sabemos. Aulas não são mais baseadas em longas falas, giz e lousa ou, pelo menos, essa não é mais a dinâmica que domina as salas de aulas ao redor do globo. Hoje, principalmente em decorrência do imenso avanço tecnológico, vemos um novo comportamento dos alunos, que já nascem familiarizados com o ambiente digital e apresentam maneiras muito particulares de aprendizagem.

Os professores, por sua vez, devem entender como lidar com o perfil desta nova geração de alunos; devem estudar como eles captam as mensagens, como absorvem conteúdos e como se relacionam tanto em sala de aula, como fora dela. Tendo em mãos esse “mapa” do estudante, torna-se mais fácil construir um diálogo efetivo entre os jovens e seus professores.

Abaixo disponibilizamos um infográfico que traça o perfil predominante dos alunos pertencentes à geração digital. A pesquisa foi realizada pela Columbia University e a imagem é de autoria da agência JESS3.

A análise da pesquisa é interessante e necessária, uma vez que destaca informações relevantes, capazes de contribuir para a construção de aulas mais envolventes e eficazes.

Dados levantados na pesquisa:

  • O professor, geralmente, fala de 100 a 200 palavras por minuto; os alunos escutam apenas 50 a 100 palavras (A METADE!);
  • Alunos se mantêm atentos apenas 40% do tempo total da aula;
  • Estudantes retêm aproximadamente 70% do que eles escutam nos primeiros 10 minutos de aula e somente 20% do que é dito nos últimos 10 minutos (!!);
  • Usar imagens que ilustrem as falas ajuda a aumentar atenção dos alunos em até 38%.

Image

Anúncios

O que as pessoas postam no twitter?

Eu uso o twitter praticamente todos os dias. Além de fazer parte da minha rotina de trabalho, a ferramenta também me acompanha em alguns momentos de lazer.

Gosto bastante, não posso negar.

Grande parte dos links que posto são artigos de sites e blogs. Vez ou outra, posto alguns vídeos e, raramente, fotos. Parece que não estou dentro do perfil predominante dos usuários do miniblog.

O site Diffbot analisou mais de 750 mil links postados no twitter e traçou o perfil do conteúdo divulgado pelos usuários.

O que as pessoas postam?

Veja abaixo que interessante os resultados da pesquisa e, a seguir, o infográfico gerado a partir do estudo.

  • Fotos representam 36% de todas as postagens no twitter;
  • Artigos de sites e blogs representam um total de 16% dos links postados;
  • 9% dos links postados são vídeos (60% deles via youtube);
  • 7% de todos os links postados no twitter direcionam para páginas inexistentes/com erro;
  • 8% dos links estão ligados a produtos;
  • O site indonésio detik.com é o campeão de “shares” no twitter;
  • 68% do conteúdo postado está em inglês e 3%, em português;
  • Os sites brasileiros Globo.com e UOL estão entre os mais compartilhados na rede.

A internet em 1 minuto

O que pode acontecer em 1 minuto? Muita coisa. Os números abaixo mostram a frenética interatividade humana na rede! E, se parecem absurdos, acredite: a tendência é que cresçam a cada ano!

Em 1 minuto:

  • 204 milhões de e-mails são enviados ao redor do mundo
  • 100 mil novos tweets são postados no miniblog
  • 320 novas contas são abertas no Twitter
  • 100 novas contas são criadas no Linkedin
  • 277 mil pessoas se logan no Facebook
  • 6 milhões de pageviews no Facebook
  • 1.3 milhões de vídeos são vistos no Youtube
  • Mais de 2 milhões de termos são procurados no Google
  • 6 novos artigos são publicados no Wikipedia
  • 3 mil fotos são postadas no Flickr

Veja abaixo mais números (em inglês)

Em 1995 os usuários da rede somavam um total de 45.1 milhões de pessoas, em 2009 esse número chegou a 1.73 bilhões de internautas ao redor do mundo.

Atualmente somos 1.97 bilhões de usuários na rede! Imaginem o que isso representa em cifras ($$$).

Para ilustrar, podemos tomar como exemplo o Amazon.com, que vende, por minuto, 83 mil dólares, ou a indústria de “encontros/namoros online”, que em 2011 movimentou algo em torno de 4 bilhões de dólares.

As informações foram retiradas do vídeo “The State of the Internet” e do relatório “The State of the Internet 2011“. Ambos mostram, em números, esse fascinante império virtual que domina e reconstrói nossa maneira de viver e interagir com o mundo e com nossos pares.