Let’s speak english?

O mundo encolheu. Hoje, recebemos notícias em tempo real de países que estão a milhares de quilômetros do nosso. Num piscar de olhos, conseguimos chegar a lugares distantes. O intercâmbio virou uma experiência acessível e bastante comum.

Temos amigos ao redor do globo, ouvimos músicas em diferentes línguas, estamos, a todo momento, em contato com outras culturas e descobrimos que, não importa aonde, o ser humano tem a mesma essência e, por isso, consegue se comunicar por gestos e pelo olhar. Mas, para facilitar ainda mais essa integração global, foi necessário definir um idioma universal e, definiu-se, então, o inglês (por questões políticas e econômicas).

Falar inglês é falar a língua global. É ter portas abertas para qualquer oportunidade que apareça em seu caminho, é se abrir para o mundo.

learn-englishNão podemos ignorar a importância de aprender o idioma e, por isso, o papo de hoje é com Karen Sturk, uma blogueira que entendeu a necessidade de aprender a língua e criou ferramentas para facilitar o aprendizado daqueles que ainda ‘travam’ quando o assunto é em inglês.

Karen teve a oportunidade de aprender o idioma desde cedo. Aos 18 anos, já havia terminado o curso e alcançado a fluência. Assim, foi dar aulas como voluntária a crianças e adolescentes.

Durante a faculdade de Administração e o início da carreira profissional, muitas pessoas pediam dicas sobre como estudar Inglês, pois não conseguiam “evoluir” nos cursos. Essa demanda constante a fez criar, em 2008, o blog “Quero Aprender Inglês”, com dicas para quem tem interesse em aprender o idioma.

O projeto idealizado por Karen é baseado em conteúdo de autoajuda e aborda temas que circundam o universo daqueles que têm vontade de aprender, mas ainda possuem barreiras. No blog, Karen fala sobre organização, dedicação, medo e disciplina.

“Percebi que existiam muitos blogs e sites com dicas de gramática e vocabulário, porém, o que as pessoas mais sentem dificuldade é com o dia-a-dia: como se dedicar, como perder o medo, como não se influenciar pela preguiça”, afirma a blogueira.

Neste ano, Karen iniciou faculdade online de Letras para se aprofundar no tema da Educação e conseguir ajudar seus leitores de maneira mais efetiva: “O pouco que eu puder ajudar as pessoas a aprenderem inglês já será muito bom para elevar o nível de conhecimento delas e aumentar suas chances de conquistar melhores oportunidades no mercado de trabalho”.

Para saber mais e conferir as dicas da Karen, visite a fanpage do projeto no Facebook.

Anúncios

Boas razões para aprender outras línguas

Um dos aspectos mais fascinantes em aprender outras línguas está na possibilidade de conhecer novas culturas e enriquecer a maneira como percebemos o mundo. Com certeza o olhar sobre as coisas da vida sofre mudanças quando somos capazes de irmos além de nossa língua materna.

Aprender outra língua é entregar-se às diversidades e peculiaridades do mundo, é dar a cara a bater, falar errado, repetir, insistir… É desafiar os próprios limites!

É conhecer pessoas de países e culturas distantes, trocar experiências e perceber que somos tão diferentes, mas ao mesmo tempo, humanos, e por isso, tão semelhantes.

É se surpreender, ficar encantado e, vez ou outra, querer jogar tudo pro alto (por que essa tal outra língua é muito difícil!)

A verdade é que, aprender outra língua pode ser, entre outras delícias, um caminho de liberdade.

Se você está pensando em aprender uma nova língua e não sabe por onde começar, confira a lista abaixo. O Guia do Estudante separou 10 sites que possibilitam o aprendizado online.

10 sites para aprender um novo idioma na internet (Fonte: Guia do Estudante)

O site tem versão em português – que é aperfeiçoada pelos próprios usuários – e é um dos mais conhecidos na web. É organizado, bastante didático e conta com quatro frentes de ensino: primeiro, o aluno passa por slideshow com áudio, que representa uma figura e ensina como escrevê-la e enunciá-la. Depois, o aluno revê o conteúdo aprendido. No terceiro passo, o internauta deve escrever uma redação curta sobre um tema proposto pelo site e, por fim, gravar exercícios em áudio e enviar para outros usuários comentarem. Há uma barra que marca seu progresso nos exercícios e é sempre possível fazer lições extras. Se optar pela conta premium, que é paga, o aluno pode se tornar um professor no Livemocha.

O site é em inglês e investe bastante no conceito de rede social: é possível adicionar amigos, enviar mensagens ou chamar usuários para o “Busuu Talk”, um comunicador instantâneo do próprio site. O aviso sonoro de que alguém está chamando você para conversar pode ser irritante, mas o conceito é legal: na janela de conversa, aparece ao lado uma lista com verbetes de ajuda. Há também uma opção de videochat.

Investe na ideia de ter um “parceiro de línguas”: você escolhe alguém para trocar informações e se ajudar mutuamente. Há grupos de discussão, fóruns e murais de recado e wikis. Para os professores natos, uma boa notícia: você pode se candidatar a uma vaga no site e ganhar dinheiro ensinando pela internet.

Oferece cursos de francês, alemão, italiano e espanhol. O site fica disponível tanto em inglês quanto na língua que você está aprendendo. O registro é rápido e trabalha com sistema de pontuação. Você tem duas chances para acertar um exercício, ou o site completa a resposta para você. Há um sistema de busca especial no site que traduz qualquer palavra (nesses idiomas) automaticamente. Há também a opção de adicionar amigos, enviar mensagens e consultar o perfil dos usuários. O site encoraja a postagem de fotos e o desenvolvimento de relações entre os usuários.



Assim como o Busuu, o Palabea possui um comunicador instantâneo próprio. Parece bastante uma rede social e permite o upload de fotos e vídeos. A troca de idiomas se dá por aulas gravadas, fotos e podcasts, e o usuário pode carregar documentos com exercícios. O site possui um espaço para novidades e eventos, conta com fóruns de discussão e grupos de estudo, além de um mapa que aponta quantos usuários do site moram em cada país. Há também um ranking para os professores mais populares e um termômetro de humor.

Inusitado, o site é voltado para estudantes de esperanto e é totalmente em português. Há várias páginas de texto explicando a origem da língua e o internauta tem a opção de receber uma palavra por dia em esperanto por e-mail. Não há muita interatividade entre os usuários, embora seja possível enviar cartões ilustrados para amigos no site. Há também jogos em flash, planos de estudo, exames de nível e concursos.

Em português, o site funciona a base de posts dos membros do site. Você pode corrigir as frases de outros usuários e dar dicas. O site também possui um sistema de pontuação: tanto as correções quanto os agradecimentos são contabilizados em um ranking de usuários.

Boa parte do conteúdo mais interessante do Smart.fm está disponível apenas para contas pagas, mas é possível utilizar o sistema de listas, criadas pelos próprios usuários do site, que estimula a participação e a troca de conversa entre os usuários. Quem opta pela conta premium tem direito aos aplicativos iKnow!, Dictation e BrainSpeed, que oferecem exercícios diversos e numerosos, dependendo do nível do idioma aprendido. O site também conta com podcasts e serviços pelo celular.

O serviço também é pago, mas é possível utilizar a versão de teste. O site oferece grande quantidade de aulas, a maioria delas em áudio. Você pode comprar o curso que lhe interessa mais e fazer os exercícios quando quiser.

O site se concentra em grupos de discussão sobre temas diversos, que vão desde o aprendizado do idioma em sua forma pura – é possível fazer uma busca pela ênfase que você pretende aprender do idioma – até temas diversos como cultura e meio ambiente. Os alunos gravam mensagens em áudio e enviam para o grupo, como se estivessem em um podcast sobre o tema. É possível transcrever o que foi dito e acrescentar ao áudio. Há também grupos de leitura e interpretação de textos.

No Twitter: Aprendendo um idioma em 140 toques 

Se você realmente quiser mergulhar no mundo dos idiomas, que tal seguí-los no Twitter? O @linguicke o @ikll são para os apaixonados por linguagem, não importa qual seja; já o @learnkanji é destinado a quem sempre quis saber japonês. Há também o @learnspanish@learnenglish_bc e o@frenchlanguage para quem deseja receber doses diárias da sua língua de estudo no Twitter.

Agora não tem mais desculpa: clique no mouse e vá estudar!