Marketing Relacionado a Causas (MRC)

O texto de hoje faz parte do projeto Ciranda de Blogs e visa discutir uma prática cada vez mais comum no mundo corporativo: o Marketing Relacionado a Causas, ou MRC. Trata-se de uma estratégia que, atualmente, parece inevitável, uma vez que a concorrência entre as empresas cresceu e, assim, fez-se necessário buscar novos diferenciais para atrair o interesse dos consumidores.

O setor social sempre foi um grande atrativo a ser “explorado” pelas empresas, inclusive no Brasil, país portador de tantas deficiências relacionadas à saúde, educação, transporte e demais serviços públicos. Desta forma, o MRC encontrou um campo extremamente fértil em nosso país e, principalmente após a década de 90, tornou-se quase intrínseco aos negócios de empresas dos mais diferentes setores.

A parceria entre produto e causa social é marcada por um beneficio mútuo: empresas tem sua imagem atrelada a ações socialmente responsáveis e organizações da sociedade civil, que defendem causas sociais, captam recursos por meio de tais parcerias e conseguem impulsionar seu trabalho e aumentar o impacto social pretendido.

Segundo Sue Adkins, diretora de Marketing Relacionado a Causas da ONG inglesa Bussines in the Community, o MRC pode ser definido como: “Atividade comercial em que empresas e organizações da sociedade civil e/ou causas formam uma parceria para comercializar uma imagem, um produto ou serviço, sempre com benefício mútuo. Trata-se de usar o poder da marca e do marketing junto às necessidades da causa e da comunidade”.

São diversos os exemplos de MRC, veja abaixo dois casos ilustrativos:

Havaianas e Instituto Ipê: A Havaianas estabeleceu parceria com o Instituto Ipê, que tem como missão ajudar na preservação da fauna e flora brasileiras. Pinturas de animais em extinção estampavam as sandálias e a venda foi surpreendente. A edição foi limitada e os consumidores queriam mais! Sucesso absoluto! O MRC, nesse caso, estabeleceu que 7% do valor arrecadado com a venda das sandálias foi destinado à ONG.

Ipe_Havaianas_MRC

Tilibra e Instituto Rodrigo Mendes: o Instituto Rodrigo Mendes é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a construção de uma sociedade inclusiva por meio da educação e da arte. O Instituto e a Tilibra, marca líder e maior fabricante de cadernos no país, fecharam uma estratégia de MRC. Rodrigo Mendes, fundador do Instituto e também artista, pintou capas especiais que ilustraram os cadernos Tilibra. 7% do valor arrecadado com a venda dos produtos é revertido à causa defendida pelo Instituto. A parceria já dura mais de 11 anos. É retrato de uma parceria que deu certo!

tilibra_rodrigo_mendes

E, não podemos deixar de lado a grande onda de manifestações das últimas semanas. O povo foi às ruas para reivindicar um país mais justo. Questionou-se os imensos gastos para a copa e olimpíadas, falou-se em melhoria de políticas públicas, criticou-se a desgovernada corrupção. Algumas empresas uniram-se à voz do povo e apoiaram as causas levantadas. Não podemos dizer que foi um MRC estratégico e planejado como os casos descritos acima, mas com certeza houve benefício mútuo, como exige uma ação de Marketing Relacionado a Causas: as empresas ganharam visibilidade e tiveram sua imagem atrelada à defesa de um bem comum e, a sociedade, ganhou apoio e reforço em sua luta por um país mais justo.

Cafeteria Coffee Lab: anunciou que o preço do seu café expresso passaria a valer R$ 0,20 na segunda-feira (17/6). O valor corresponde ao aumento da tarifa dos ônibus, que entrou em vigor no último dia 2 de junho. Na página oficial da empresa no Facebook, funcionários posaram com um cartaz e postaram a seguinte mensagem: “Hoje, nosso expresso vale R$ 0,20”. A mensagem foi compartilhada por pelo menos 2.300 usuários.coffee_lab

Gráfica e estúdio de design Meli-Melo: disponibilizou suas impressoras para imprimir cartazes do movimento. A empresa também se prontificou a distribuir o material gráfico. Com essa estratégia a gráfica, de porte pequeno, ganha visibilidade e contribui com o sucesso do movimento social.

meli_melo_cartazesIndependente do tamanho da empresa envolvida no MRC – e independende da causa social em jogo – o mais importante é que os dois lados sejam beneficiados pela parceria. Para a empresa, o benefício vem sob uma perspectiva de melhorar sua imagem, levar maior confiança aos seus consumidores e alavancar as vendas e, para as organizações sociais (e consequentemente para as causas), o benefício vem sob a ideia de desenvolvimento de iniciativas que cumpram com a missão proposta: incentivar educação, preservar o meio ambiente, combater doenças, etc. O que importa é que a parceria seja feita com profissionalismo, dedicação, transparência e que conte com um sistema de avaliação de resultados rígido, que possa contribuir para o aprimoramento constante do MRC.

Quanto mais estruturada for a ação de Marketing Relacionado a Causas, maior o impacto positivo que trará para a sociedade e para as empresas.

Anúncios

Um pensamento sobre “Marketing Relacionado a Causas (MRC)

  1. Pingback: Primavera das Marcas – periskópio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s