As diferentes maneiras de “educomunicar”

Existem diferentes maneiras de cruzar os campos da educação e comunicação. Abaixo listo três formas de pensar a integração destas duas áreas.

Comunicação para a Educação

Aqui, quem aparece como protagonista é a mídia. Trata-se de uma proposta em que os meios de comunicação assumem postura responsável perante às mensagens que oferecem aos seus receptores, ou seja, o conteúdo é produzido com responsabilidade e leva-se em consideração o impacto que poderá causar sobre as pessoas. Entende-se a influência social da mídia e sua importante função como produtora de sentidos e influenciadora de opiniões e comportamentos. Esse “modelo” de educomunicação é muito discutido quando falamos no conteúdo que é direcionado às crianças. Muitas mensagens dirigidas ao público infantil se mostram irresponsáveis, induzindo a comportamentos como erotização precoce ou violência e, assim, se ausentam do “compromisso educativo” que deveriam ter.

media_literacyEducação para a Comunicação

Educar para a leitura de mensagens midiáticas – essa é a proposta que temos aqui. Sabemos que o conteúdo midiático é, muitas vezes, tendencioso e atende à interesses do empresariado, ou seja, não se preocupa com os possíveis impactos sociais que causará. As mensagens da mídia (leia-se aqui TV, rádio, cinema, revistas, jornais) ou (artigos, matérias, músicas, propaganda, fotos, etc) vêm repletas de valores, opiniões e até mesmo “verdades absolutas” que devem ser lidas e desconstruídas. Pais e professores têm o dever de ensinar seus filhos e alunos a desenvolverem uma leitura crítica da mídia, para que eles possam entender os sentidos embutidos em uma mensagem e não apenas absorvê-los sem questioná-los. É quase uma “alfabetização” para a mídia.

Educação pela Comunicação

Essa é outra forma de “educomunicar”. A ideia é utilizar os diferentes veículos de comunicação para fins pedagógicos, mas, a grande sacada é que aprende-se a partir da produção de conteúdo, ou seja, os estudantes colocam-se como produtores de mensagens midiáticas e utilizam esses canais para, além de entender o funcionamento e responsabilidades da mídia, falar daquilo que consideram importante. É, também, uma forma de contestar a grande mídia, que traz opiniões prontas e define uma agenda nem sempre relevante à sociedade. Essa lógica é bastante utilizada e, por meio dela, é possível colocar em prática os demais modelos citados: ao produzir mensagens, o estudante entende o compromisso que um produtor de conteúdo assume perante à sociedade e consegue desenvolver um olhar crítico em relação à atuação dos grandes veículos de comunicação, pois irá questioná-los e colocará as suas prioridades e verdades em pauta.

Anúncios

3 pensamentos sobre “As diferentes maneiras de “educomunicar”

  1. Gostaria de saber a referencia bibliografica utilizada, estou escrevendo meu TCC sobre a educomunicação, estou a procura de livros. Se puder me ajudar ficarei imensamente feliz! Grata Tatiane!

  2. Pingback: Crise ou oportunidade para mudança? |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s